quinta-feira, março 29, 2012

JÚRI DO 24º HQMIX FAZ AS PRÉ-INDICAÇÕES



Neste 24º HQMIX o processo de pré-indicações está nas mãos de um júri de especilaistas e jornalistas na área de quadrinhos e humor gráfico. Heitor Pitombo (jornalista), Marcelo Alencar (editor e presidente do júri), Zé Oliboni (crítico e pesquisador), Sam Hart (desenhista de quadrinhos) e Télio Navega (jornalista) fizeram suas escolhas. Os resultados foram cruzados para que se chegasse à lista deste ano para votação pela academia.
O resultado está sendo postado hoje em nosso blog para o processo de discussão aberta. Após uma semana os jurados decidem se mudam alguma pré-indicação com base nos debates on-lineObservação: o júri será renovado anualmente, veja abaixo a lista:
Comissão Organizadora

Adaptação para os Quadrinhos
Clara dos Anjos (Cia Das Letras)
Conto de Escola Em Quadrinhos (Peirópolis)
Dom Casmurro (Nemo)
Fahrenheit 451 (Globo)
Fernando Pessoa e Outros Pessoas (Saraiva)
Pateta Faz História (Abril)
Vigor Mortis Comics (Zarabatana)

Chargista
Angeli (Folha De S. Paulo)
Benett (Folha De S. Paulo)
Dálcio Machado (Correio Popular)
Duke (O Tempo)
Gustavo Duarte (Lance)
Leo Martins
Loredano

Desenhista Nacional
Aloísio De Castro (Carcará)
Danilo Beyruth (Necronauta 2)
Gustavo Duarte (Birds)
Lourenço Mutarelli (Quando Meu Pai...)
Marcelo Lelis (Saino a Percurá Ôtra Vez)
Rafael Albuquerque (Tune 8 e Vampiro Americano)
Rafael Coutinho (O Beijo Adolescente)

Desenhista Estrangeiro
Cyril Pedrosa (Três Sombras)
Dave Mckean (Sinal e Ruído)
David Mazzucchelli (Asterios Polyp)
Jacques Tardi (Era a Guerra das Trincheiras)
Milo Manara (Bórgia – Tudo é Vaidade)
Oliver Copiel (Thor)
Shaun Tan (A Chegada)

Destaque Internacional
Fábio Moon & Gabriel Bá
Greg Tocchini
Ivan Reis
Marcelo Lelis
Mike Deodato
Rafael Albuquerque
Ricardo Manhães

Edição Especial Nacional
Daytripper (Panini)
Garra Cinzenta (Conrad)
Histórias do Clube da Esquina (Devir)
Morro de Favela (Leya Brasil/Barba Negra)
Oeste Vermelho (Devir/Quanta)
Vigor Mortis Comics (Zarabatana)
War - Histórias de Guerra (Opera Graphica)

Edição Especial Estrangeira
12 de Setembro – a América depois (Record)
A Chegada (SM)
Asterios Polyp (Cia das Letras)
Era a Guerra das Trincheiras (Nemo)
Quando Eu Cresci (Ática)
Quando Lá Tinha O Muro (Tinta Negra)
Três Sombras (Cia Das Letras)

Editora
Cia Das Letras
Conrad
Devir
Leya/Barba Negra
Nemo
Panini
Zarabatana

Livro Teórico
A História em Quadrinhos no Brasil (W. Vergueiro E R. E. Santos)
Ângelo Agostini (Gilberto Maringoni) - Devir
Enciclopédia dos Quadrinhos (Goida E André Kleinert) – L&PM
Faces do Humor (Paulo Ramos) - Zarabatana
Histórias em Quadrinhos & Educação - Formação e Prática Docente Elydio Dos Santos Neto & Marta Regina Paulo da Silva (Orgs.) - Editora Metodista
Linguagem HQ (Nobu Chinen) – Editora Criativo
Super-Heróis, Cultura e Sociedade (Nildo Viana & Iuri Andréas Reblin - Orgs.) - Editora Ideias & Letras

Novo Talento – Desenhista
Daniel Og (Yuri, Quarta-feira de Cinzas)
Luís Felipe Garrocho (Achados E Perdidos)
João Carlos Vieira (Zine Extremis)
Lu Cafaggi (Mix Tape)
Magno Costa E Marcelo Costa (Oeste Vermelho E Matinê)
Rael Lyra (MSP Novos 50)
Shiko (MSP Novos 50)

Novo Talento – Roteirista
Carlos Ferreira (Kardec)
Eduardo Damasceno (Achados e Perdidos)
Hector Lima (MSP Novos 50)
Lillo Parra (Sonhos de Uma Noite de Verão)
Magno Costa (Oeste Vermelho)
Marcelo d'Sallete (Encruzilhadas)
Vitor Cafaggi (Duo.Tone e Valente para Sempre)

Produção para Outras Linguagens
Angeli 24h (Documentário)
As Aventuras de Tintim (Filme)
Batman: Ano Um (Longa De Animação)
Batman: Arkham City (Video Game)
Capitão América: O Primeiro Vingador (Filme)
Walking Dead (Série De Tv)
X-Men: Primeira Classe (Filme)

Projeto Editorial
1000 (Barba Negra)
Achados E Perdidos (Independente)
Coleção Fierro (Zarabatana)
Coleção Ópera Em Quadrinhos (Ática/Scipione)
Cripta (Mythos)
Tex Gigante (Mythos)
Vá Para O Diabo (A Bolha)

Publicação de Aventura/Terror/Ficção
Cripta (Mythos)
Fábulas (Panini)
Fierro Brasil (Zarabatana)
Garra Cinzenta (Conrad)
J. Kendall: Aventuras de uma Criminóloga (Mythos)
Os Mortos-Vivos (Hq Maniacs)
Y - O Último Homem (Panini)

Publicação de Clássico
Agente Secreto X-9 (Devir)
Arzach (Nemo)
Cripta (Mythos)
Fantasma – A Saga Do Casamento (Kalaco)
Garra Cinzenta (Conrad)
Gen Pés Descalços (Conrad)
Superman Vs. Muhammad Ali (Panini)

Publicação de Charges
Antes Charge do que Nunca (Atorres)
Caminhos Do Santiago (Santiago)
Só Futebol (Duke)
Catálogo do 3º Festival Internacional de Humor do Rio do Janeiro (vários)

Publicação de Cartuns
Arvres (Orlando Pedroso)
Caricaturas De Letra (Biratan)
Humor Do Miserê (Nani)
Ostras Ao Vento (Vasqs)
Ultralafa (Daniel Laffayete)
Uma Patada Com Carinho (Chiquinha)

Publicação de Tira
Agente Secreto X-9 (Devir)
Geraldão, Espocando a Cilibina (Almedina)
Iscola... O Crime (Independente)
Macanudo # 4 (Zarabatana)
Ordinário (Cia Das Letras)
Rei Emir Saad – O Monstro De Zazanov (Barba Negra)
Valente Para Sempre (Independente)

Publicação Erótica
Black Kiss (Devir)
Bórgia – Tudo é Vaidade (Conrad)
Futari H (JBC)
Golden Shower 2 (Independente)
Hentai Gold (Geek)
O Perfume do Invisível – Edição Completa (Conrad)
Velta & Mirza (Júpiter II)

Publicação Independente de Autor
Achados E Perdidos (Eduardo Damasceno, Luís Felipe Garrocho e Bruno Ito)
Birds (Gustavo Duarte)
Duo.Tone (Vitor Cafaggi)
O Beijo Adolescente (Rafael Coutinho)
O Louco, a Caixa e o Homem (Daniel Esteves e Will)
SOS (Felipe Nunes)
Tune 8 (Rafael Albuquerque)

Publicação Independente de Grupo
1000-1
Achados E Perdidos
Almanaque Gótico
Café Espacial
Golden Shower 2
Graffiti 76%
Zine Extreme

Publicação Independente Edição Única
Achados E Perdidos
Birds (Gustavo Duarte)
Duo-Tone (Vitor Cafaggi)
Mix Tape (Lu Cafaggi)
O Beijo Adolescente (Rafael Coutinho)
O Louco, a Caixa e o Homem (Daniel Esteves e Will)
Tune 8 (Rafel Albuquerque)

Publicação Infanto-Juvenil
Achados E Perdidos (Independente)
Bakuman (JBC)
Epic Mickey (Abril)
Joca E A Caixa (Cia Das Letras)
Mônica 500 (Panini)
Pateta Faz História (Abril)
Pequeno Pirata (Leya/Barba Negra)

Publicação Mix
1000-1 (Cachalote/Barba Negra)
Dc Made In Brazil (Panini)
Fierro Brasil (Zarabatana)
Golden Shower 2 (Independente)
Mad (Panini)
MSP Novos 50 (Panini)
Vertigo (Panini)

Roteirista Nacional
André Diniz (Morro de Favela)
André Valente (Não Fui Eu)
Carlos Ferreira (Kardec)
Daniel Esteves (O Louco, a Caixa e o Homem e Nanquim Descartável vol.4)
Lourenço Mutarelli (Quando Meu Pai...)
Marcelo Cassaro (Dbride: A Noiva Do Dragão)
Vitor Cafaggi (Duo.Tone e Valente para Sempre)

Roteirista Estrangeiro
Alejandro Jodorowsky (Bórgia – Tudo é Vaidade)
Brian Azzarello (100 Balas)
David Mazzucchelli (Asterios Polyp)
Giancarlo Berardi (Julia Kendall e Ken Parker)
Pierre Paquet (Quando eu Cresci)
Robert Kirkman (The Walking Dead)
Shaun Tan (A Chegada)

Tira Nacional
A Cabeça é a Ilha (André Dahmer)
Bifaland (Allan Sieber)
Malvados (André Dahmer)
Manual do Minotauro (Laerte)
Níquel Náusea (Fernando Gonsales)
Piratas do Tietê (Laerte)
Quase Nada (Fábio Moon e Gabriel Bá)

Web Quadrinhos

A Vida com Logan (Flavio F Soares)

Clube da Esquina (Laudo Ferreira E Omar Viñole)
Ig Jovem (Vários)

Ledd (J.M. Trevisan e Lobo Borges)

Mundinho Animal (Arnaldo Branco)
Tune 8 (Rafael Albuquerque)

127 comentários:

Estevão Ribeiro disse...

É isso mesmo, pessoal?
As tiras selecionadas são APENAS as publicadas em São Paulo?
Publiquei mais de 500 tiras no jornal O DIA RJ, assim como o Lucas Lima (não o marido da Sandy) publica o Nicolau e seus amigos e nada de serem citados.
Eu nem peço para considerarem Os Passarinhos como webtiras porque em função do jornal eu acabei defasando meu site, mas e "Um Sábado Qualquer"? Nem consideraram como Webtira, nem como publicação de tiras, um livro esgotado em 3 meses.
Tô vendo muitas indicações merecidas, mas poxa, vamos olhar com mais carinho essa seleção...

Estevão Ribeiro disse...

Ah, corrigindo uma injustiça. Tem André Dahmer, Allan Sieber e o Arnaldo Branco, todos do GLOBO, no Rio. Abs.

Afonso Andrade disse...

A Graffiti que foi produzida e impressa durante o FIQ, fato inédito no país, deveria concorrer como projeto editorial ou como Publicação independente edição única

LAUDO FERREIRA JR. disse...

Caríssimos,

Agradeço de todo coração a pré-indicação de "Histórias do Clube da Esquina" como Web Comics, mas é importante notificar a comissão organizadora que esta versão para internet não se encontra mais on line desde que foi lançada a versão impressa em agosto último pela editora Devir.
Para conferência, o atual site do Museu Clube da Esquina não contém, como disse as hq's disponíveis on line.

http://www.museuclubedaesquina.org.br/

Obrigado.

Laudo Ferreira

Afonso Andrade disse...

faltou em publicação infanto-juvenil: "pequenas histórias de nós dois" do João Marcos.

RUBENS JUNIOR disse...

Muita gente e material de qualidade nas indicações! Parabéns a todos. Mas, como está aberto a discussão, segue algumas sugestões, para encaixar nas categorias apropriadas:

- Guilherme Bandeira - "Objetos Inanimados" e "Fandangos Suicida"
- Floreal - "Subúrbio"
- Solon Maia - "Meus Nervos"
- Silvano Mello - charges

Só uma pergunta: por que a categoria "Mídia sobre Quadrinhos" não entrou nesta edição?

Abraço!

Estevão Ribeiro disse...

Olá, volto aqui para me desculpar dos comentários acima. Eu misturei MUITO as coisas, acabei deixando uma coisas pessoais afetarem meu julgamento. Não estou num dia muito bom.
Obrigado ao Sidney Gusman pelo puxão de orelha. Me trouxe para a vida real novamente.
Mas peço mesmo que reconsiderem o Ruas, um cara que fez e anda fazendo um bom trabalho.

Porco disse...

Só por curiosidade, o que caracteriza Edição Especial? E qual a diferença entre Publicação Independente de Autor e Publicação Independente em Edição Única? São até os mesmos indicados.

Há uma incoerência na categoria Web Quadrinhos, onde Tune 8 concorre com IG Jovem, projeto do qual faz parte.

Luís Felipe Garrocho disse...

Opa! Muito obrigado pelas indicações. É realmente um honra. Não tínhamos ideia que o livro seria tão bem aceito. Nós dois estamos extremamente surpresos e agradecidos.

Porém, desde já pedimos desculpa pela confusão, mas é preciso mencionar que quem desenhou o Achados e Perdidos foi o Eduardo Damasceno.

Eu, Luís Felipe Garrocho fiquei mais por conta do roteiro. Mas mesmo o roteiro o Damasceno. fez junto comigo também!

O Achados e Perdidos foi um processo muito misturado. Nós criamos a história juntos. Eu montava layout das páginas, ele desenhava, e depois eu ajudei a colorir, de acordo com as indicações dele. Então nós preferimos, durante o livro, não definir roteirista e desenhista.

Falando isso pelas indicações a Novo Talento - Roteirista e Desenhista. Que eu estou como desenhista, e está ele, como roteirista.

Se puder trocar os dois, e possivelmente colocar o Damasceno junto comigo como roteirista. Agradeço imensamente.

Muito obrigado por tudo,

Luís Felipe Garrocho

Achados e Perdidos - Quadrinhos Rasos

LAUDO FERREIRA JR. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LAUDO FERREIRA JR. disse...

aríssimos,

Retificando: a versão on line de "Histórias do Clube da Esquina" esteve 2011 todo fora da internet, desde que o projeto da versão impressa foi aprovado em 2010 pelo ProAC.

Obrigado.

Anônimo disse...

Ultralafa pode ser tudo, menos uma publicação de CARTUNS. Merece sim a indicação, mas na publicação de tiras, só tem tiras lá.

Pra que duas vezes um mesmo artista na mesma categoria? Dois LAertes concorrendo com dois Dahmers?

O trabalho da categoria chargista poderia ser eliminado, já entregando ao Angeli o prêmio que será dele.

Sobre as webcomics, acredito que o pessoal não conhece muitas, então, aí vai uma lista de blogs que mereciam facilmente uma indicação:

http://www.umsabadoqualquer.com/
http://www.willtirando.com.br/
http://vidaeobrademimmesmo.blogspot.com/
http://talentosamaodireita.blogspot.com.br/
http://ossostortos.blogspot.com.br/
http://mentirinhas.com.br/

Se nenhuma dessas webcomic entrar para as indicações, eu realmente não sei o que é quadrinho de qualidade.

Obrigado.

Rogério.

Afonso Andrade disse...

desculpem, corrigindo o nome do livro do João Marcos: Histórias tão pequenas de nós dois. Obrigado

Andre Leal disse...

Que demais, muito massa, parabéns a todos ! Senti falta da indicação de Ana Koehler, que é uma das melhores desenhistas que vi até hoje. Ela desenha muito !

Marshall disse...

Realmente, as categorias "produção independente de autor" e "produção independente edição única", embora não contemplem exatamente os mesmos indicados, estão muito próximo disso, o suficiente para que se questione a necessidade de uma ou de outra.

Guilherme Bandeira disse...

Só tem fera, mas gostaria de indicar "Objetos Inanimados" (produção independente), de Guilherme Bandeira.

Felipe Nunes disse...

Poxa! MUITO obrigado! Caramba, eu tô muito feliz.
Só de entrar na pré-seleção já me deixa com um sorriso enorme.
Meu ano valeu a pena.

de verdade.


Abraços

Nunes

Emerson Lopes disse...

Legislando em causa própria, indico a minha webtira:

Alfredo, o vampiro, de Emerson Lopes

http://alfredovampiro.blogspot.com

Zé Wellington disse...

Olá, amigos.

Em primeiro lugar parabéns pelo esforço de manter o prêmio e torná-lo o mais tradicional do país.

Como já comentado, algumas categorias talvez não caibam mais no troféu, pois refletiam uma época em que os brasileiros publicavam a maior parte dos seus títulos como fanzines. Já é meio complicado separar independentes de trabalhos de editoras, pela qualidade que vemos dos primeiros. Então esses prêmios com "Independentes" podem estar defasados. Defendo também que, ao invés de destacar REVELAÇÕES (com critérios ainda não muito bem definidos), talvez fosse mais interessante premiar o trabalho dos outros profissionais de quadrinhos (principalmente arte-finalistas, coloristas e editores). Nessa mesma linha, acho que seria mais coerente separar artistas que trabalham roteiro/arte de quem só faz uma dessas coisas (algo que os prêmios internacionais já fazem).

Enfim, parabéns a todos os indicados.

Abraço,

Pedro Cobiaco disse...

Vai Nunes!

pedro disse...

Tomara que o Nunes ganhe, ia ser bem legal um menino de 16 anos ganhando o premio.

Troiano Léo disse...

Vai Nunes! estou torcendo por você! vai! Ia ser esplêndido se ele ganhasse , Formidável!

David disse...

Nunes arrebentando que nem gente grande rsrs.. é isso ai cara, merece mesmo estar ai e boa sorte..estou torcendo por você. :D

Gabriel Barretto disse...

Nunes, fodendo todo mundo
Na torcida.

André disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André disse...

Muito obrigado pela indicação! Fico honrado.

Chamo a atenção pra Aparecida Blues de Stêvz e Biu. Não vi em nenhuma categoria, merecia estar em várias.

Abração a todos!
André Valente

Estevão Ribeiro disse...

Uma última observação. Mário César fez um dos melhores trabalhos de 2011. Valia a pena dar uma olhada. Entrequadros deveria estar na lista.

Mauro César disse...

Realmente, o HQ Mix ainda não dá a devida a atenção à categoria Web Quadrinhos. O prêmio deixou de fora 3 das melhores:

http://vidaeobrademimmesmo.blogspot.com/
http://talentosamaodireita.blogspot.com.br/
http://dinamicadebruto.interbarney.com/

Com exceção do Mundinho Animal do Arnaldo Branco, a categoria privilegiou muito web quadrinhos em que não há crítica e nem um humor mais cáustico. Uma pena.

esteves-hqemfoco disse...

Senti falta do Mário Cesar com a fantástica ENTREQUADROS da Balão Editorial, do Aparecida Blues e da web comic do Mario Cau (Terapia no Petisco). (com certeza devo estar esquecendo de alguma coisa)
Legislando em causa própria, também senti falta da Nanquim Descartável vol. 04... :)
Fico feliz de estar indicado como roteirista, da indicação do Louco e sobretudo pela abertura do espaço novamente para os comentários da galera. Espero que esse seja um espaço de discussão sadia, afinal, normal que em tempos de tantos lançamentos algumas coisas acabem ficando de fora mesmo.
Acho legal também a sugestão de diferenciação entre DESENHISTA, ROTEIRISTA e ROTEIRISTA/DESENHISTA, como é usado em outros países.
abraços!!!

Anônimo disse...

HQ MIX 2012 sem GAROTO MICKEY?

Nigga plz.

Anônimo disse...

Trocaria todos esses prêmios pra Estrangeiros (que nunca saberão que/se ganharam) por um prêmio pra Novela Gráfica Nacional. Já temos produção suficiente pra isso. Parem de pensar nos velhos paradigmas de gibi de banca. O mercado mudou faz tempo.

Zé Oliboni disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zé Oliboni disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
orlandeli disse...

No geral, boas indicações. Claro, com certeza não agradará a todos, mas enfim... Agora Tiras e web quadrinhos precisam ser revistos. A duplicidade do Laerte e do Dahmer não se justifica. Evidente que possuem um trabalho excelente, mas duplicar autores quando ficaram de fora outros tão bons quanto... é desnecessário e faz parecer que faltam tiristas por aqui. Só para lembrar: Adão, Gilmar, estevão Ribeiro, Iotti, Galvão... e também me dou ao direito de me incluir nessa lista com o SIC, que continua sendo produzido regularmente.

Web quadrinhos: Um Sábado Qualquer... merece estar nessa lista. Ignorar a febre que a tira é na internet é ir contra a formação de público para os quadrinhos. Outro que entra fácil, o Will Tirando... Material produzido regularmente e com qualidade. Indicar o IG e o Tune8 é esquisito tb. Ou indica o conjunto ou o autor, os dois juntos não dá.
É isso.
Orlandeli

Zé Oliboni disse...

Eu participei das listas iniciais que foram somadas para gerar essa. De cara eu vejo alguns problemas que precisariam ser mudados:

-Carlos Ferreira não pode ser roteirista revelação porque já ganhou hqmix com os sertões e esta concorrendo corretamente na categoria roteirista

-achados e perdidos não pode ser publicação de autor! Ele é feito por um grupo e esta corretamente na categoria de grupo (aliás eu considero grupo porque a dupla que faz a trilha sonora tem que ser considerada já que ela é parte lógica da obra)

- como já foi dito os autores de achados e perdidos estão invertidos nas categorias roteirista e desenhista revelação

- 1000 foi desde o começo financiado pela barba negra, não deveria estar na categoria independente

- tune 8 tem que sair da lista de web comics pq ele já esta indicado pelo IG jovem onde era publicado.

Ainda discordo muito com a classificação de Daytripper - quadrinhos gringo da vertigo, que por acaso foi publicado no Brasil e que foi traduzido- como edição nacional, pra mim o lugar de daytripper é melhor edição internacional.

- Tira nacional seria bom tirar um laerte - no caso o manual do minotauro que republica na net as tiras da folha - o um dahmer

- Eu não considero Vigor Mortis uma Adaptação para quadrinhos, mas em falta de uma categoria multimeios ok

- Agora, Pateta Faz história como adaptação para HQ acho um tanto forçado

- Fierro Brasil (Zarabatana) como Publicação de Aventura/Terror/Ficção tá bem fora de lugar...

- Tune 8 e Beijo Adolescente não podem estar na categoria Publicação Independente Edição Única, as duas são séries que devem ser continuadas, o lugar delas é publicação independente de autor.

Eu acho que essas mudanças (que no geral são causadas pela categorização do HQMix que precisava de parâmetros mais definidos, e possivelmente passar por uma redução de categorias) são quase que obrigatórias. Além de serem distorções feias abrirão espaço para outros indicados quando se tirar as redundâncias.

Fora isso eu considerei o processo feito por um juri bem interessante, e espero que a cada ano tenha um juri melhor.

Mas acho que vale como curiosidade para se saber que muita gente entrou nas listas individuais, foram lembrados, não não tiveram "pontuação" suficiente para entrar na lista final:


- Adaptação para os Quadrinhos

Noite na Taverna
Na Colônia Penal (Cia. das Letras)
A batalha de Oliveiros com Ferrabrás (Tupynanquim)
A Divina Comédia de Dante (Cia)
A Cachoeira de Paulo Afonso (Pallas)

- Desenhista Nacional

Matheus Santolouco (Zine Extremis)
Eduardo Medeiros (Roberto e Neeb)
Thiago Lacerda (1000)

- Destaque internacional

Mauricio de Sousa
Cris Peter

- Edição Nacional

Garoto Mickey

- Novo Talento Desenhista

Rael Lira (MSPn50)
Samanta Flôor (MSPn50)
Will Leite (MSPn50)

- Novo Talento - Roteirista

Raphael Fernandes (Ditadura no Ar)
Yuri Moraes (Garoto Mickey)
Mário Cesar (Entrequadros - Círculo Completo)
Pedro Franz (Promessas de um desconhecido)

- Projeto Editorial

MSP Novos 50 - Mauricio de Sousa por 50 novos artistas
Sandman Ed. Definitiva

- Publicação de Aventura/Terror/Ficção

Tex Gigante
Calafrio (Cluq)

- Publicação Independente de Autor

ST. Bastard!
Neeb

- Publicação Mix

Grafitti 76%
Maturi

- Web Quadrinhos

Quadrinhos Rasos http://www.quadrinhosrasos.com/
Na bunda nada http://nabundanada.com/
Nem Morto http://nemmorto.com/
Vida Besta http://www.vidabesta.com/
Wiltirando http://www.willtirando.com.br/

Sei que essa lembrança não ajuda quem não entrou na lista e obviamente gostaria de estar entre os indicados, mas faz parte do processo e felizmente esse ano a maioria foram bem concorridas.

Vitor Cafaggi disse...

Agradeço muito minhas indicações e gostaria que vocês analisassem a web comic 'Quadrinhos A2', para uma possível inclusão na categoria Web Quadrinhos.
Abraços!

Lu Cafaggi disse...

Vim escrever justamente o que meu irmão sugeriu, a respeito dos "Quadrinhos A2".

Vim também agradecer imensamente pela minha indicação e pela indicação do trabalho de tanta gente que admiro e que realmente merece esse destaque.

Um abraço,
Lu!

André disse...

Cade o Garoto Mickey em edição nacional, roteirista e webcomic?!

Leonardo Maciel disse...

Valeu por quem lembrou do meu Nabunda Nada para webquadrinhos nos comentários, mas não foi esse ano.

Chuif, chuif. Hehe.

Mas realmente acho que alguns webquadrinhos que são muito, muito populares na web, como o Um Sábado Qualquer, o Will Tirando e o Mentirinhas, deveriam estar concorrendo.
O Vitor Cafaggi também lembrou do Quadrinhos A2 que também fazem um ótimo trabalho.

Talvez por ser uma categoria da qual eu faço parte, mas acho que as maiores omissões estiveram na categoria Web Quadrinhos.

Gabriel Carvalho disse...

Boas indicações.
Mas acho que ficou faltando a Birds (do Gustavo Duarte) na categoria "Publicação de Aventura/Terror/Ficção"
É uma ótima história de Terror.

Mario Cau disse...

Oi, pessoal!

Queria deixar alguns comentários aqui. Alguns eu vi que já comentaram, mas como eu preparei o texto antes de entrar aqui, lá vai:

- Produção para outras linguagens:
Não concordo em dar prêmios para games, filmes, desenhos animados produzidos e destinados pro mercado americano. Não faz sentido nenhum, e os caras não estarão aqui pra receber o prêmio. Talvez, nem liguem pro prêmio at all.

- 1000 está em publicação independente e AO MESMO TEMPO, em projeto editorial sob o selo Barbanegra. Como isso?

- Senti muita falta do Estevão Ribeiro na categoria Roteirista. O trabalho dele é muito bom e ele merece concorrer.

- Cadê Um Sábado Qualquer? Eu não sou leitor, mas temos que reconhecer que é um sucesso de público.

- Tuno8 e IG Jovem concorrem na mesma categoria (Webquadrinhos), mas o primeiro faz parte do elenco do segundo. Ou indica as séries individualmente, ou o portal coletivo... oque me leva à...

- Cadê o Petisco? Sugiro retirar o Tune8 (motivo acima) e incluir o coletivo de autores do Petisco.org

- Achoque o Rob Gordon e a Marina Kurcis merecem concorrer juntos ao prêmio de Roteiristas Revelação, pelo trabalho em TERAPIA.

- ALIÁS, sugiro a consideração de TERAPIA pra Webquadrinhos (www.petisco.org/terapia), mas só se o Petisco como um todo não concorrer.

- Outra sugestão é ter uma categoria de webTIRAS e outra de webQUADRINHOS. São duas coisas BEM diferentes.

- CaDê o WILL LEITE na Revelação de artista, e no WebQuadrinhos?

- Achados e Perdidos concorre em Publicação Ind. de AUTOR e de GRUPO ao mesmo tempo. Inviável, só rola a de Grupo pois são 3 autores.

- Sugiro que as HQs que entrem em Publ. Ind. de AUTOR não entrem na categoria Publ. Ind. EDIÇÃO ÚNICA e vice-versa. Uma categoria nega a outra. Tune8 e Birds são exemplos: a primeira, não é edição única, a segunda é.

- André Dahmer e Laerte concorrem 2 vezes na mesma categoria, deixando MUITA gente boa sem poder concorrer por falta de "espaço".

- Sugiro criação de categoria Roteirista+Desenhista, para autores que escrevem e ilustram a própria obra, podendo deixar que roteiristas concorram somente com roteiristas, e artistas somente com artistas.

- Ana Koehler e Cris Peter poara Destaque OInternacional.

- Eduardo Ferigato, que participou da revitalização do FANTASMA, e ninguém lembra dele. Destaque Internacional FÁCIL. Só pq o Fantasma não é tão mainstream não quer dizer que não seja importante. É um clássico!

- Edição Especial Nacional deveria conter SOMENTE obras produzidas por brasileiros e lançadas no mercado brasileiro. Coisas lançadas antes n oexterior deveriam concorrer em Edição Especial Estrangeira.

- Aliás, fica a dica, de transformar o Edição Especial Nacional é Novela Gráfica Nacional, como bem disse o

- Mário César devia concorrer com o EntreQuadros - Circulo Completo (Balão Editorial) que é uma obra linda.

Acho que é só, eheheh

Abraços e obrigado por abrirem esse cana lde comunicaç~~ao. O Prêmio de enriquece e os autores podem opinar sobre incoerências ou coisas assim.

Glauco Martins disse...

Mais uma vez os livros que realmente mereciam indicação foram esquecidas só porque o júri não vai atrás de conhecer e ler o que realmente ta acontecendo no momento.

RUBENS JUNIOR disse...

Concordo com quase tudo que o Zé Oliboni disse, e também sou do time que apoia uma valorização maior das WEB COMICS. Além destas que foram citadas, existem milhares de outras que estão fazendo muito sucesso diariamente, e nunca são citadas em nenhum prêmio, nem nas principais mídias de quadrinhos durante o ano.

Falando nisso, não sei se esqueceram ou tiraram de propósito, mas será uma baita falta de consideração faltar a categoria MÍDIA SOBRE QUADRINHOS, já que são estas mídias que divulgam, indicam, popularizam e colaboram com a valorização dos artistas e dos quadrinhos. A maioria destas mídias possui muito mais acesso de público que as mídias dos próprios autores. Segue algumas indicações:

- www.aqcsp.blogspot.com.br
- www.programabancadequadrinhos.com
- www.gibirasgado.blogspot.com.br
- www.oglobo.globo.com/blogs/Gibizada
- www.hqmaniacs.uol.com.br
- www.hqquadrinhos.blogspot.com.br
- www.impulsohq.com
- www.marvel616.com
- www.omelete.uol.com.br/quadrinhos
- www.osquadrinhos.blogspot.com
- www.pipocaenanquim.com.br
- www.universohq.com

Grande abraço!
E, novamente, parabéns a todos os indicados!

RUBENS JUNIOR disse...

Faltou
- www.cafecomhq.com
- quadrinhos para quadrados e redondos

Damasceno disse...

Puxa, uma honra mesmo estar entre os pré-indicados!!! Muito obrigado!

Não sei exatamente quais são os critérios para quadrinho de autor e de grupo por isso vou só deixar registrado o processo aqui:

Achados e Perdidos não é um antologia ou uma coletânea com trabalhos de vários autores, é uma obra única com três autores - Luís Felipe Garrocho e Eduardo Damasceno responsáveis por roteiro e desenho e a música feita pelo Bruno Ito. O Quadrinhos Rasos é um selo pelo qual eu e o Luís Felipe somos responsáveis e convidamos o Ito para participar do Achados com a gente. É isso.

E aproveitando o espaço de discussão pra sugerir que considerem o quadrinhosa2.com, o ryotiras.com e o oswaldoaugusto.com na categoria webcomic. são trabalhos que possuem um público grande e que atraem novos leitores todos os dias.

Mais uma vez, muito obrigado!

Abraços,
Eduardo Damasceno

Gus Morais disse...

Gostaria de me apresentar e, antes de tudo, colaborar para uma categoria que acredito merecer um olhar mais aprofundado. Me chamo Gus Morais, faço webcomics e sou formado em comunicação, e acredito que tenho alguns pontos que podem ajudar na formação e reavaliação de critérios para a categoria de webcomics.

1 - Popularidade e formação de leitores: Tiras e material produzido para a web tem circulado imensamente pelas redes sociais. Há tiras feitas por autores de webcomics com milhares de "likes" e "retweets" e, mesmo que isso não seja critério isolado de avaliação de qualidade, é um fator importante a ser avaliado em termos de formação de público leitor. Os quadrinhos estão nas livrarias, ainda custam seus 20 a 60 reais - mas o que está no dia a dia dos leitores são as webcomics.

2 - Periodicidade de publicação X proposta artística: Nas webcomics há propostas das mais variadas mas, tendo-se em vista a velocidade do meio, é importante que se tenha em conta questões como periodicidade de publicação. Há quem publique tiras diárias e quem publique semanais, mensais. De qualquer forma, tendo maior ou menor complexidade de produção, são materiais que dialogam com leitores de maneira muito intensa e constante, como já foi com os jornais antigamente.

3 - Diferenciação entre material feito para web e material impresso colocado na web: Acho que aqui cabe uma avaliação mais cuidadosa. Há material impresso que é escaneado e jogado na web. Não considero isso webcomics - está completamente fora da cultura de webcomics que tem se formado. Mas há material feito como webcomic que é pensado para ser impresso futuramente. Quando isso acontece (exemplo: Um Sábado Qualquer), qual a melhor maneira de encaixar a indicação? Dentro da categoria webcomics (pelo conjunto da produção online) ou dentro de alguma categoria de publicação impressa? É algo a se pensar.

4 - Interpretação de webcomic como trabalho intermediário para algo melhor ou de pior qualidade: há este certo preconceito de que o quadrinho na web só funciona se for em tiras ou coisa rápida. É algo a ser revisto. Há quem julgue traços rápidos em materiais da web como algo tosco também, o que também precisa ser revisto. Há uma expressividade própria ao desenho digital (em tablets, bonecos de vetores ou o que quer que seja) que nada deixa a dever com a expressividade dos velhos tempos em nanquim e papel. É questão de olhar o novo com olhar de agora, e não com olhar de anos atrás.

5 - Análise de qualidade da webcomic dentro das possibilidades expressivas do meio - O que diferencia uma webcomic de outra? Qual se utiliza melhor dos meios expressivos possibilitados pelo digital? Se no álbum impresso se avalia disposição de quadros, páginas, tipo de capa e formato do álbum, adequação de cores e traços ao material físico e processo manual de produção, de que forma podemos avaliar as possibilidades de linguagem dentro do digital? As possibilidades são enormes e há gente explorando isso (seja gente fazendo quadrinho em pergaminho, como eu e o Fabio Coala, ou gente fazendo leituras fluídas com diferentes orientações de leitura como a Cátia Ana do Diário de Virgínia). Há uma série de possibilidades que o digital fornece (embora não sejam obrigatórias) que podem ser avaliadas para se capturar a riqueza da obra.

6 - Cabe também começar a pensar, como foi sugerido pelo colega Mario Cau, a separação entre webtiras e webquadrinhos. No passado talvez não houvesse riqueza de produção o suficiente para esta divisão, mas hoje em dia com certeza há e caberiam diversos indicados para cada uma dessas áreas.

Bom, por ora, acho que é isso. Não acho que adianta ficar citando mil links e esquecer vários aqui nesta caixa de comentários, mas me coloco a disposição para ajudar a fazer um apanhado mais completo da produção séria e intensa de webcomics do ano passado e ajudar na discussão dos critérios, caso estejam abertos.

Obrigado,
Gus Morais

Mário César disse...

Caros, temos um grande ano de publicações a ser celebrado e gostei desta lista e da comissão ser renovada a cada ano agora, mas, ao meu ver, ainda há alguns equívocos na lista que precisam ser corrigidos e outros pontos que precisam serem melhores esclarecidos, alguns já foram apontados, mas reitero:
- o Carlos Ferreira foi indicado a 'roteirista' e 'roteirista revelação'. Ele já ganhou um HQMix por sua adaptação de "Os Sertões". Então creio que não deva concorrer como revelação, apenas na categoria principal;
- o Marcelo d'Salete é outro que não vejo como revelação. Já publicou um álbum solo ("Noite e Luz") e está no mercado há um bom tempo. Senti muita falta do "Encruzilhadas" em edição especial nacional e do d'Salete ser indicado a desenhista nacional também;
- o "1000-1" é um projeto dos autores em parceria com a Leya/Barba Negra, então não creio que deva concorrer na categoria de independentes;
- "Tune 8" e "Beijo Adolescente" não são edições únicas, mas primeiras edições de séries contínuas;
- na categoria webcomics, "Histórias do Clube da Esquina" saiu apenas como edição impressa este ano, não foi publicado na internet em 2011, "Tune 8" faz parte do "IG Jovem", ou se indica cada uma das HQs ali individualmente ou o projeto como um todo, as duas coisas junto não faz muito sentido;
- a categoria edição especial nacional é apenas para materiais inéditos ou também abrange republicações? Caso seja apenas para materiais inéditos, o "Garra Cinzenta" deveria concorrer apenas como publicação de clássico;
- "Achados e Peridos" está concorrendo tanto como publicação independente de autor como de grupo. Deveria ser apenas em uma destas categorias. Inverteram suas indicações a desenhista e roteirista revelação também. O Damasceno é o desenhista e ele e o Garrocho fizeram o roteiro juntos;
- a "Fierro Brasil" como Publicação de Aventura/Terror/Ficção está bem estranho;
- Laerte e André Dahmer tem indicações duplas em tira nacional. Ambos são artistas excepcionais, mas acho que seria o caso de abrir espaço para novos talentos que temos de sobra;
- também creio que já seria a hora de criarmos uma categoria de Roteirista + Desenhista, para autores que escrevem e ilustram a própria obra, podendo deixar que roteiristas concorram somente com roteiristas, e artistas somente com artistas.
- Produção para outras linguagens poderia ser limitado para coisas desse tipo feitas no Brasil apenas. Não vejo muito sentido em ficar premiando adaptações para filmes, animações ou videogames estrangeiros que não estão nem aí pra uma premiação como o HQMix.

Senti falta de alguns títulos e nomes como:
- "Encruzilhadas" em edição especial nacional e o d'Salete como desenhista e roteirista nacional
- em webcomics senti falta de "Petisco" de vários autores, "Willtirando" do Will Leite, "Quadrinhos A2" da Cristina Eiko e do Paulo Crumbim e "Nem Morto" do Leo Finocchi;
- em tiras nacionais faltou "Willtirando" do Will Leite, "Valente" do Vítor Cafaggi, "Os passarinhos" do Estevão Ribeiro, "Vida Besta" do Galvão e "Um sábado qualquer" do Carlos Ruas;
- em roteirista revelação faltou o Yuri Moraes por "Garoto Mickey" e eu também por "EntreQuadros - Círculo Completo";
- em publicação independente de autor faltou "EP" de Dalton Soares e Magenta King (que também mereciam ser indicados a desenhista revelação) e "St. Bastard!" do Raphael Salimena e Leonardo Martinelli.

Rafael Marçal disse...

Gus Morais já falou parte do que eu ia falar, portanto quero apenas complementar algumas coisas.

Não se pode negar o tamanho do público web em quadrinhos, nem também o crescimento do número de autores nos últimos anos. No entanto não vemos esse crescimento nas indicações e prêmios.

Em webcomics vemos produções das mais variadas e colocar tudo isso como uma única categoria é algo no mínimo superficial.

Temos ótimos roteiristas (Gus Morais, Fabio Coala, Carlos Ruas, Estevão Ribeiro e vários outros que acabaria esquecendo), temos ótimos desenhistas (Leonardo Maciel, Ryot, Clara Gavillan e etc), temos também ótimos desenhistas/roteiristas (Will Leite, Rodrigo Chaves, Wel Marçal, Filipe Remédios e tantos e tantos outros). Temos também material em forma de tira, de quadrinhos de ação, de humor, de terror, de romance... Aí o Dahmer coloca as tiras que saem no jornal no seu site e abocanha toda essa categoria com suas ótimas tiras.

Ele até merece e estou apenas dando um exemplo, mas o HQMix precisa ver que WebQuadrinho não é uma coisa só, é todo um universo de autores, público e trabalhos que precisa ser melhor categorizado e avaliado pelo conteúdo e não pela mídia usada pela publicação.

Gostaria também de parabenizar aos indicados, todos com ótimos trabalhos vou quebrar a cuca pra votar esse ano.

Rafael Marçal
http://www.profeticos.com

Lucio Luiz disse...

Pode ser que "mídia sobre quadrinhos" não entre na votação e seja escolhida por comissão, igual aconteceu com webquadrinhos em 2010 (se não me falha a memória).

Seria, então, interessante que a organização informasse quais categorias serão definidas pelo júri oficial esse ano.

Denis Mello disse...

É, um trabalhão. Tem um bocado de erros como os camaradas estão atenciosamente apontando, e que serão certamente revistos. Mas creio ser normal, com uma quantidade tão grande de material que ocorram algumas confusões iniciais.

Parabenizando os indicados e os que devem entrar depois das correções. Vai ser uma premiação concorrida, boa sorte!

Rubens Oliveira disse...

Achados e Perdidos é muito bacana.
Mas porque concorre em Independente de Grupo e de Autor?
São três autores, então é de Grupo.

E concordo com o Gabriel:
Birds merece uma indicação na categoria Terror.
Parabéns a todos os indicados.

Wesley Samp disse...

Acho que os comentários já postados aqui deixam claro que os quadrinhos produzidos pela internet talvez devam ser vistos com um outro olhar.

A quantidade - e qualidade dos trabalhos veiculados na rede hoje é muito grande, e acho que já é hora de julgarmos que publicar na internet tem o mesmo valor de uma publicação impressa. E acredito que o HQ Mix poderia refletir essa realidade.

E aproveito parta parabenizar os pré-indicados - tem muito material bom aí!

Abraços,

Wesley Samp

oslevadosdabreca.com
cafecomhq.com

paulo crumbim disse...

Olá a todos, parabéns a todos os pré-indicados!

Obrigado Vitor, Lu, Leonardo e Damasceno.

(leiam o paragrafo abaixo não com tom agressivo).

Lembrar não deveria ser a palavra porque sei que todas as webcomics que vou citar são muito bem lembradas todas as semanas pelos seus leitores.
Vim afirmar nomes que julgo não poderiam estar ausentes no prêmio que acredito não conseguir refletir ainda o grande universo do webcomics brasileiro.

Malditos Designers por Rômulo
http://www.ideafixa.com/malditosdesigners

dinamica de bruto por Bruno Maron
http://dinamicadebruto.interbarney.com/

RyotIRAS por Ricardo Tokumoto
http://ryotiras.com/

Bufas Danadas por Luis Felipe Garrocho
http://bufasdanadas.com/

oswaldo augusto por Daniel Pinheiro Lima
http://oswaldoaugusto.com/

um sabado qualquer por Carlos Ruas
http://www.umsabadoqualquer.com/

quadrinhos a2 por Paulo Crumbim e Cristina Eiko
http://www.quadrinhosa2.com/

ultralafa por Daniel Lafayette
http://ultralafa.wordpress.com/


Também senti falta dos independentes :

Primeira Edição – Volume II por Odyr
Quadrinhos A2 por Paulo Crumbim e Cristina Eiko
Aparecida Blues por Biu e Stêvz
Bátima por André Valente
EP por Dalts e Magentaking


Abraço e boa sorte a todos!
Paulo Crumbim

paulo crumbim disse...

Valeu Mário Cesar :)

Abs
Crumbim

Troféu HQMIX disse...

Mesmo que a maiorias das pessoas tenham entendido a função desta lista a Comissão Organizadora está corrigindo o título da postagem para "pré-indicados", assim deixamos claro a nossa intenção. Lembrando que todas as observações apresentadas nestes comentários serão levadas em consideração na revisão da lista para a montagem da cédula oficial.
Uma observação apenas, ao sugerirem nomes verifiquem se a obra em questão foi publicada em 2011 e não em 2012 (erro comum) pois a premiação sempre refere-se ao ano anterior.
A Comissão agradece a todos os comentários e sugestões construtivas para o aprimoramento do prêmio.

Estevão Ribeiro disse...

Olá, povo! Tive que voltar para agradecer a galera, mas preciso dizer que no ano de referência - 2011 - eu publiquei apenas uma história de 5 páginas no MSP Novos 50, O Livro dos Gatos e Os Passarinhos e Outros Bichos.
O trabalho no MSP tem apenas 5 páginas, "O Livro..." eu bem que queria que fosse quadrinhos, mas consultei dois entendidos no assunto e não adianta forçar: É um livro ilustrado.
Como a minha produção foi mais voltada a tiras, não acho justo ser considerado no ano pelo trabalho de roteiro.
A não ser que isso valha para os dois lados: O autor de tiras poder concorrer como desenhista e/ou roteirista, por exemplo.
Repararam que a categoria tira funciona como uma espécie de melhor autor (roteirista+desenhista)? É de se pensar...
Abraços!
E.

Estevão Ribeiro disse...

Salve, Crumbin! Faz falta mesmo Quadrinhos A2 em Webtiras E publicação independente!

Dario disse...

Pra mim, ficou claro que o HQ Mix não é um prêmio em sintonia com os novos tempos e ficou pra trás. as mudanças e impactos que a internet trouxe para os quadrinhos claros para qualquer um que tenha o mínimo de envolvimento, seja como leitor, como autor ou como crítico.

Li aí em cima e concordo plenamente que o volume, a qualidade e a relevância dos web quadrinhos cresceram muito no último ano. Mas aparentemente o HQ Mix estava em outro planeta enquanto isso acontecia.

Ter a categoria de web quadrinho separada de web tiras é essencial.

Me pareceu óbvio, também, que as pessoas que selecionaram não têm conhecimento de 10% do que rola de quadrinho para internet. É inegável que, como bem citou o Gus Morais, as tiras de internet dialogam e interagem com o público de maneira muito mais intensa e cumprem a função que as tiras diárias de jornal já cumpriram tempos atrás. São consumidas diariamente e representam um material vasto e heterogêneo. É justamnete nesse anacronismo que o HQ Mix repete contra os web quadrinhos o preconceito que havia antes contra as tiras de jornais. Se existe uma instância onde esse tipo de preconceito não deveria aparecer é justamente num prêmio que se pretende referência nacional.

Concordo com Mauro César no que diz respeito ao fato de que, à exceção do genail Arnaldo Branco, não foram consideradas as tiras mais ácidas e críticas, que geram milhares de likes e são compartilhadas de forma viral nas redes sociais, como o fantástico trabalho do Bruno Maron (Dinâmica de Bruto), do Ricardo Tokumoto (Ryotiras), do Ricardo Coimbra (Vida e Obra de Mim Mesmo), do Thiago Cruz (Ossos Tortos), do Sica e da Chiquinha, entre outros. Esse material representa uma subida da barra no que se refere a uma produção menos ingênua e mais crítica e reflexiva (além de terem o mais importante, que é a graça, a capacidade de fazer ir com inteligência. No entanto, parece que prevalece a mentalidade de um web quadrinho nerd, infantilizado e calcado em referências pop de consumo.

Leonardo Maciel disse...

Reitero aqui quem acho que merece uma indicação a webquadrinhos:

Ryotiras - http://ryotiras.com/
Contratempos Modernos - http://contratemposmodernos.blogspot.com/
Peixe Aquatico - http://peixeaquaticotiras.blogspot.com/
Vida besta - http://www.vidabesta.com/
Will Tirando - http://www.willtirando.com.br/
Vida e Obra de Mim Mesmo - http://vidaeobrademimmesmo.blogspot.com.br/

Quadrinhos como o Um Sábado Qualquer, posso não ser leitor, mas considerando o sucesso de público que fazem, também deveriam ser indicados.

Também deveríamos ter alguns critérios mais claros. Para mim, se um quadrinho é feito para a mídia impressa, como um jornal, e depois é colocado em um website, não é um webcomic. Da mesma forma, temos que levar em conta a frequência de atualizações, se o autor coloca uma página no ar, só vai atualizar de novo depois de 2 meses e novamente depois de 4 meses, não deveria ser indicado em detrimento de quem faz um trabalho constante.

Enfim, certamente estou esquecendo de muita gente boa aqui, mas é uma categoria que merece ser revista.

Leonardo Maciel
http://nabundanada.com

Porco disse...

Minhas considerações no site do Pulapirata
http://www.pulapirata.com/?p=10690

paulo crumbim disse...

Assim como as considerações do Pulapirata http://www.pulapirata.com/?p=10690

Moon e Bá também fizeram uma boas observações.
http://10paezinhos.blog.uol.com.br/arch2012-03-01_2012-03-31.html#2012_03-30_12_53_46-2677714-0

Acredito que para os próximos anos o prêmio poderia receber o material dos autores/editoras assim como festivais de cinema e o Eisner (já que o volume de trabalhos é grande).

---

Estevão Ribeiro, valeu! feliz por ter te conhecido pessoalmente, precisamos nos ver mais.

Só lembrando também em webcomics:

Quadrinhos Rasos por Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho
http://www.quadrinhosrasos.com/
trabalho intenso e muito bom dos dois.

Abs
Crumbim

Anônimo disse...

O tal do Will que concorre nas categorias "Publicação Independente de Autor" e "Publicação Independente Edição Única" é o mesmo da Comissão Organizadora??
Se for, ele precisa ser retirado das relações que concorrem aos prêmios. Esse é um princípio básico de ética de qualquer concurso: quem julga, não concorre.

Anônimo disse...

Achei muito interessante a lista.
Na categoria Publicação Independente de Autor, deveriam manter o Nunes, que foi uma revelação do ano passado com um quadrinho super bacana, o SOS...
Acho que deviam tirar o Beijo Adolescente, o Tune 8 e o Achados e Perdidos deviam sair dessa categoria por fatores já apresentados aqui.
O EP do Magentaking e do Dalts é interessante, junto com o Quadrinhos A2.

Obrigado pela atençao

Roberto Pavão

Zé Oliboni disse...

Comentário anônimo não merece resposta, mas vale esclarecer: O Will que está concorrendo é sim da comissão organizadora, mas o juri que selecionou o trabalho dele (muito justamente) não é parte da comissão organizadora (salvo o presidente que comanda o juri e a comissão)

Anônimo disse...

Achei mto massa a indicação do Nunes com o SOS , uma bela indicação. Acho q deveriam deixar em lista definitiva.., os quadrinhos estão mto bem feitos, Adorei! ;D

Projeto Carambola disse...

Muito legal o Nunes, integrante do nosso projeto, ter sido indicado!
Ele devia ser, além de Publicação de Autor, ser indicado ao Revelação.
Ele e o Pedro Cobiaco, que fez um trabalho lindo com "Bolhas", no FIQ.

Parabéns, Nunes! Estamos felizes!

Projeto carambola.

Troféu HQMIX disse...

Amigos,
Obrigado a todos pelos comentários, elogios e críticas. Graças a vocês podemos crescer e aperfeiçoar o processo de seleção dos indicados.
Garanto que cada mensagem será lidda e levada em consideração na elaboração da lista definitiva.
Lembro apenas que, como sempre, o HQ Mix premia obras publicadas no ano anterior.
Abs gerais,

Marcelo Alencar
Presidente do HQ Mix na gestão 2011-2012

RUBENS JUNIOR disse...

Hhauhauh.. a torcida do Nunes tá forte! rs

Não se preocupe hermaninho, ninguém está pedindo para vc SAIR da lista. Só estamos avaliando outros nomes que também poderiam ENTRAR, principalmente em categorias com "duplicidade" e, principalmente, nas web comics, web quadrinhos, tiras na web, ou seja lá como queiram denominar.

Inclusive, devido esta excelente abertura de discussão que os organizadores proporcionaram, muitas mudanças podem ser feitas ainda NESTE TROFÉU, e não nos próximos anos.

Mais do que incluir novos candidatos na lista, considero a maior prioridade realmente esta REVISÃO DE CATEGORIAS, de forma que todas as diversas ramificações e estilos de quadrinhos sejam inclusos, POIS ISSO É POSSÍVEL.

Basta definir melhor o que seriam cada categoria, como hqs independentes (produção por apenas 1 indivíduo ou publicação sem o intermédio de editoras), especiais, de grupo, etc... E definir também uma diferença entre as TIRAS DIÁRIAS (o verdadeiro fenômeno do quadrinho nacional, sejam elas impressas ou não) e os quadrinhos que são feitos por páginas, no formato tradicional, mas são publicados na web.

Definindo melhor as categorias, elas diminuirão de quantidade, e neste espaço pode ser acrescentadas estas novas categorias da web, entre outras categorias, como:

- CONTRIBUIÇÃO PARA OS QUADRINHOS - entrariam pessoas, empresas ou instituições que incentivam a nona arte ao público geral.

- PROJETOS INOVADORES - como GAZZARA (Rafa Coutinho), FLASHEXPO (Jal), QUADRINHOS RASOS (ilustradores diferentes fazendo quadrinhos a partir de música é uma baita inovação), etc. É sempre bom prestigiar quem está inovando, investindo em quadrinhos de forma diferente, e não só os quadrinhos tradicionais, pois os inovadores contribuem com todo o ramo.

- EVENTOS - Além dos eventos de premiação e exposição, hoje há dezenas de eventos como ENCONTRO DOS CARTUNISTAS DO ABC, KINGCON, DOSSIÊ HQ, entre outros.

Se parar para pensar, novas boas categorias vão surgindo para prestigiar gente que já está produzindo com qualidade.

São idéias.
Abraço!

RUBENS JUNIOR disse...

Sorry, Gazzara é de 2012. =/

Eduardo Ramuski disse...

Sinto que a premiação é feita com carinho e dedicação, mas que não é o suficiente.

Os tempos mudaram, o público vem crescendo. Os quadrinhos não estão mais escondidos, timidos e encostados nas prateleiras e têm se espalhado e pipocado pela internet. O evento precisa acompanhar essas mudanças, observar melhor principalmente o que circula nos sites, blogs e redes sociais.

Talvez criar uma conta no twitter, facebook ajude a criar proximidade e monitorar melhor o que tem sido publicado.

O Hqmix tem um local bacana que abriga o evento, um apresentador mega dedicado. Só falta o evento se organizar melhor, ter critérios mais claros para tornar-se mais atraente para os próprios quadrinistas, público e midia.

O Trofeu é o único prêmio da hq nacional e têm potencial para ser um grande prêmio. Mais sério, mais crítico e que os melhores daquele ano sejam de fato, os melhores. Que as revelações de novos talentos sejam mesmo novas revelações.

Divergências dos indicados sempre vai ter. Ao invés de "tentar agradar a todos" , e os nomes conhecidos, saber escolher o que de fato se destacou ou é relevante naquele ano. E de preferencia, indicado na categoria correta.

Como bem disse o Rafel Grampá, numa materia recente: "“Vivemos é a Era do Fervor. Temos boas HQs, muitas medianas e inúmeras ruins, mas pouquíssimas excelentes”. Cabe ao prêmio conhecer e acompanhar melhor o trabalho dos artistas, saber selecionar com critérios objetivos e categorias mais bem definidas o que é relevante premiar e evitar cometer velhos erros como os já citados acima.

O Bá e o Moon dão ótimas sugestões. Receber inscrições seria um ótimo passo.
E acredito que estao todos aqui, querendo ajudar, contribuir.

O prêmio não é de todo mal, melhorou nas indicações mas ainda deixa muito a desejar.
Assim como os novos quadrinistas tem se exigido a fazer um trabalho cada vez melhor, não custa exigir um olhar mais apurado para as indicações e categorias.

Entendo as limitações que possam existir, mas mudanças são necessárias.

Jota Silvestre disse...

Não sei se perdi alguma coisa, mas... onde foi parar a categoria MÍDIA SOBRE QUADRINHOS?

Abraços

Giovanna /F. Silva disse...

Legal, galera, mas tah faltando muita gente em webcomics, hein!!

Muitos dos meus favoritos nem citaram nos comentários e que fizeram muita coisa legal ano passado, vou passar os links abaixo

http://www.overdosehomeopatica.com
http://www.gusmorais.com
http://dinamicadebruto.interbarney.com

Parabens aos outros indicados!

Bjs

Giovanna

Will disse...

Apesar de que comentários anônimos não são dignos de resposta vou esclarecer aqui até para outras pessoas entenderem e não cometerem esses impropérios. Primeiro, o Zé Oliboni já explicou muito bem como funcionou este ano o sistema de pré-indicações, agradeço. Segundo, existe uma regra dentro da Comissão que determina que membros da Comissão podem concorrer desde que o trabalho seja em co-autoria, com uma ou mais pessoas, de fora da comissão. Os jurados sabiam disso e portanto puderam indicar o quadrinho que fiz em parceria com o Daniel Esteves. Essa regra foi criada porque seria uma injustiça o Esteves não poder concorrer com o trabalho. Tenho certeza que a Comissão e os Jurados vão rever a questão das pré-indicações repetidas nas categorias. Seria de bom tom as pessoas se informarem um pouco antes de falar e, educação acima de tudo, eu não sou um "tal", procure o meu trabalho, você pode não gostar mas não me desrespeite.

Julio Belo disse...

Olá, pessoal!
Gostaria de saber se o juri que selecionou os trabalhos teve acesso aos livros "Ariosto - a evolução do conquistador" e "Cada Um a Seu Modo", e à revista "Rato do Prédio#1". Essas publicações do grupo The Comics Cafe encontram-se à venda na Livraria HQMix e Comix, em São Paulo. E também podem ser adquiridas no endereço www.thecomicscafe.com. Vale ressaltar que esses trabalhos foram efetivamente publicados em 2011.
Um abraço!

Sarah Camargo disse...

Aparecida Blues e Garoto Mickey. Os dois melhorea albums de 2012.

Alex Mir disse...

Não é autopromoção, mas acho que Orixás, do Orum ao Ayê poderia estar na lista de adaptações.

Terapia do Mario Cau (Petisco HQ)entra facinho na categoria Web Quadrinhos. Foi e é um dos melhores trabalhos em quadrinhos da internet.

Mario Cau e Caio Majado poderiam estar na categoria Desenhista.

esteves-hqemfoco disse...

Também senti falta do Wanderson de Souza. Talvez como "Novo talento - desenhista". Ano passado ele fez um ótimo trabalho na Nanquim Descartável e no Sonho de uma noite de verão junto com o Lillo.

Lillo Parra disse...

Nem tenho que falar dele. O trabalho dele é impressionante, com uma puta riqueza visual. Você joga a história na mão dele e ele faz um troço deslumbrante. Tá fazendo bastante falta.

Telio Navega disse...

Realmente a lista final de pré-indicados ao Prêmio HQMix acabou ficando com algumas redundâncias.

Eu votei separadamente na galera de web quadrinhos do IG. Isto pq acho mais justo premiar os autores, e não o site em questão. Até porque o tal portal não produz mais o projeto. E também preferi hierarquizar os autores. Para mim, foi um dos melhores projetos de um ano em que o trabalho em grupo, de uma forma geral, no Rio (Golden, 1000), em SP e em BH (Graffiti), se destacou.

Também votei duas vezes em André Dahmer. Afinal, o prêmio é de Melhor Tira, e não de Melhor Autor de Tiras. Se fosse para elencar todos os bons autores de tiras do país, sete indicados seria pouco. Porém não indiquei o "Manual do Minotauro" pq é algo como um resgate do que o Laerte já publicou antes na Folha. Também acredito que o Carlos Ruas deveria entrar. Assim como o João Marcos. E o Daniel Lafayette.

Votei separadamente no trio do "Achados e Perdidos", mas não me importo em rever esta posição e indicá-los como Melhor Publicação Independente de Grupo.

Votei na revista "Fierro Brasil" - e em mais outras seis - como Melhor Publicação de Aventura/Terror/Ficção" porque o sinal de "/", para mim, significa uma coisa ou outra. E acredito que a revista seja de ficção.

Votei nos gêmeos Moon e Bá como Destaque Internacional e como Melhor Edição Nacional. Não vejo nada de errado em inclui-los nestes quesitos. A revista saiu no Brasil. E eles continuam sendo destaque no exterior. Assim como os outros seis que eu escolhi.

A conclusão que tiro com relação à lista é que se fossem menos de sete indicados por categoria, ela seria mais coerente. E também concordo com o Oliboni de que deveriam ser menos categorias. Muitos trabalhos aparecem mais de uma vez na lista por conta disto.

Mas o melhor, mesmo, seria fazer com que a lista final fosse apresentada ao júri antes, para evitar as incongruências. Nada contra abrir para o debate.

Por enquanto é só.

Octavio Aragão disse...

Parecem-me justas as indicações, mas senti falta da Ação Magazine nas publicações Mix; A Bolha entre as Editoras e Manoel Ricardo (Intempol: Para Tudo Se Acabar Na Quarta-Feira), como novo talento – desenhista. Sim, todas as minhas dicas são de 2011.

Anônimo disse...

Objetos InAnimados do Guilherme Bandeira não pode ficar de fora desta. Um belo trabalho!

Abraço

André Cordeiro

André Valente disse...

Olá, sou eu de novo. Respirem fundo que eu me empolguei e escrevi demais. Desculpas de antemão.

Acho que cada um fazer uma lista de pessoas que gostaria de ter visto indicadas não é muito produtivo. Se cada comentário tivesse cinco nomes diferentes, só essa página já teria 400 nomes. E, por exemplo, eu posso indicar o quanto eu quiser o incrível gibi em estêncil do Rodrigo Okuyama, cada exemplar feito manualmente e artesanalmente em tiragem mínima, mas acho quase impossível que ele consiga chegar ao júri a tempo. Quadrinhos impressos podem ser um produto tanto tátil quanto visual, e nem sempre tem PDF que os represente.

Considerando comentários anteriores, realmente acho que, em edições futuras, o sistema de inscrições e envio de trabalhos por parte dos autores/editoras parece mais justo. A produção está em efervescência, enquanto o sistema de distribuição de exemplares físicos caduca de forma apavorante. E me parece que só dessa forma um gibi independente de tiragem pequena pode ser indicado ao lado de livros de grandes editoras, com papel e impressão de mesma qualidade. Afinal, o que é premiado é o produto, e não a distribuição. E outra queixa pode ser sanada dessa forma: esse sistema pode descentralizar o prêmio e lhe tirar o estigma de "de paulistas para paulistas".

E todos esses quadrinhos enviados poderiam, depois da votação, ser uma doação a uma gibiteca (a gibiteca Henfil me vem à mente). Já pensou, atualizar anualmente a produção nacional de quadrinhos em um espaço público?

Imagino que vocês poderiam disponibilizar uma ficha de inscrição para o envio dos trabalhos. Algo como, "Eu sou X e gostaria que meu trabalho em anexo fosse considerado na(s) seguinte(s) categoria(s)". Só isso já evitaria vários dos problemas de categorização.

Isso também ajudaria a resolver a parte Web. Podemos indicar aqui centenas de sites diferentes, a semana inteira, mas nem sabemos se os próprios autores consideram seus sites como tentativa de webcomics. Ou se foram webcomics em 2011. E se dentro de webcomics, eles preferem ser considerados web-tiras, ou web-séries, ou web-sei lá o que. E vai que um autor somente de web-tiras se considera apto para concorrer em, sei lá, "Melhor Desenhista". Se o trabalho dele se sustenta, porque impedir? (Além disso, como o trabalho de tiras é periódico, porque não permitir que o autor envie uma amostra do seu período mais forte do ano, ao invés de correr o risco de entrar hoje no site do cara e pegar ele de férias, ou numa fase experimental, e ter que procurar pelos arquivos até encontrar algo que preste).

O trabalho da comissão deve ter sido infernal, e não consigo imaginar nenhum membro sentindo confiança de que, "sim, eu li todos os melhores gibis do ano". Tanto que estamos aqui, discutindo pré-indicações, tentando desesperadamente chamar a atenção aos nossos gibis favoritos do ano. Com um sistema de inscrições, pelo menos a comissão poderia dizer, "eu li todos os quadrinhos que se inscreveram e se aplicam nessa categoria,. Pena que o seu favorito não se inscreveu".

E quem sabe com as inscrições feitas, os contatos podem ser utilizados, novos jurados podem ser cadastrados, mais pessoas poderiam participar do grupo, mais atenção poderia ser dada ao prêmio, mais gente poderia comparecer à premiação, etc, etc e tal. Sinto que a premiação precisa de mais gente que se importa pelo menos o suficiente pra escrever uma carta, e menos produções hollywoodianas cujos responsáveis nem sabem, nem se importam, que foram indicados.

Sinto um esforço real por parte da organização para melhorar o prêmio a cada ano. Caso contrário não me sentiria à vontade de entrar aqui, comentar, potencialmente fazer inimigos, e correr o risco de ter minha pré-indicação retirada. (Aliás, enquanto estamos aqui, por favor, não me desindiquem. Não vou conseguir botar a champanhe de volta na garrafa, nem espremer os fogos de volta pra dentro dos rojões). Fico feliz de poder dar minha opinião em algo que me importa.

Obrigado pela atenção,
André Valente

Roberto Oliveira disse...

A categoria de Charge já voltou para a votação. E a caricatura ainda fica a cargo da organização. Já está na hora de abrir novamente este voto.

E concordo com o dito por outros aqui em cima. A Fierro na categoria Aventura-Terror-Ficção está deslocada. Já a Birds do Gustavo Duarte merecia ser indicada por ser uma história de Terror.

RUBENS JUNIOR disse...

Tem outro menino fera que ninguém citou, é o PEDRO FRANZ.. ele lançou mais algumas edições do PROMESSAS em 2011, e o trampo é maravilhoso.. vale a pena considerar.

Comentei sobre o Gazzara, e me disseram que realmente foi lançado em 2011.. não sei.. mas a organização pode averiguar.

Abraço!

Marco Oliveira disse...

Gus Morais, André Valente e tantos outros acima comentaram excelentes ideias de melhorias. Pelo visto, a organização pode contar com uma boa quantidade de artistas para tornar o prêmio ainda melhor, só depende dela fazer acontecer essas mudanças.

Octavio Aragão disse...

Puxa, um esquecimento imperdoável em webtiras é o fantástico trabalho do Tibúrcio em Meu Monarca Favorito! http://meumonarcafavorito.blogspot.com.br/

Só a pesquisa desenvolvida para o figurino e o cenário transforma essa tira numa obra diferente de tudo que se faz hoje no Brasil.

Lucio Luiz disse...

Venho fazendo uma compilação dos vencedores de todas as edições do troféu HQ Mix. Como a relação do site oficial está incompleta e só tem dados parciais, busquei informações sobre autores, editoras e tudo o mais em diversas fontes e coloquei tudo na Wikipédia (como ainda há algumas lacunas a ser preenchidas, creio que esse é o melhor lugar para que todos possam colaborar nesse resgate de informações). O link é:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_ganhadores_do_Trof%C3%A9u_HQ_Mix

Mas o ponto principal de meu comentário não é esse. Na verdade, a partir desse levantamento de vencedores e categorias (diversas delas já foram extintas, mescladas e subdivididas nesses vários anos de evento), e depois de ler comentários interessantes de várias pessoas por aqui, estou tentando elaborar uma proposta inicial de sugestão de categorização para futuras edições do Troféu HQ Mix (eu sei que essa sugestão é inviável para o troféu 2012, mas quem sabe para o ano que vem?).

Tentei pegar as várias sugestões que surgiram por aqui e organizar não apenas uma sugestão de tópicos como também formas deles serem avaliados. Naturalmente, não considero que essa sugestão é perfeita, mas resolvi compartilhar com vocês para que deem sugestões extras, na intenção de ajudar os organizadores.

Para facilitar a leitura, dividi as propostas em cinco “grandes tópicos”, com a sugestão de como selecionar os pré-indicados (que, em minha opinião particular, poderiam ser apenas cinco e não sete), e, em cada um deles, os tópicos sugeridos de eleição (tentei usar todos os de 2012, tirando um ou outro, e alguns novos que foram sugeridos), num total de 46 categorias.

Leiam e opinem. Ou digam logo que nada faz sentido e eu sou maluco de ter escrito isso tudo ;)

1 - OBRAS “A” (livros, revistas e afins)

Aqui entrariam as premiações para obras que possam ser categorizadas como livros, revistas e equivalente. Nesse caso, elas poderiam participar com base em inscrição prévia. Conforme sugerido, poderia haver um número “x” de edições a enviar para os jurados, que posteriormente as doariam para uma gibiteca pública. Seria necessário elaborar critérios para as publicações em edição única e as publicações seriadas (pode-se tomar como exemplo o Prêmio Jabuti, que também recebe inscrições e, no caso de coleções, precisa de todos os exemplares do ano em questão).

PS: Por “Livros, revistas ou equivalentes”, entendam o “equivalentes” como quaisquer mídias modernas que existam ou venham a existir, como livros online (como os feitos para Kindle) ou revistas de publicação exclusiva em tablets. Nesses casos, deveria ser estudado como fazer o envio das edições.

Tópicos para premiação:
- Adaptação para os quadrinhos (obras originalmente feitas para outra mídia - livros, teatro, televisão, cinema, etc. - que tenham sido adaptadas para os quadrinhos)
- Edição especial (nome atualmente usado pelo HQ Mix para as graphic novels e equivalentes; na falta de um nome tão abrangente poderia continuar sendo esse) {dividida em Edição especial nacional e estrangeira}
- Livro teórico (obras de não-ficção que abordem temas relacionados a quadrinhos e humor gráfico)
- Projeto editorial
- Publicação de aventura / terror / ficção (livros, revistas ou equivalentes que tragam uma ou mais HQs dentro dos gêneros aventura, terror e/ou ficção científica)
- Publicação de caricaturas (livros, revistas ou equivalentes que publiquem caricaturas)
- Publicação de cartuns (livros, revistas ou equivalentes que publiquem cartuns)
- Publicação de charges (livros, revistas ou equivalentes que publiquem charges)
- Publicação de clássico (livros, revistas ou equivalentes que tragam uma ou mais HQs historicamente importantes, cuja publicação original tenha pelo menos 25 anos de “idade”)
- Publicação de charges (livros, revistas ou equivalentes que publiquem tiras)
- Publicação erótica (livros, revistas ou equivalentes que tragam uma ou mais HQs dentro do gênero erótico)

continua...

Lucio Luiz disse...

...continuando

- Publicação independente de autor (livros, revistas ou equivalentes, independente de gênero e formato, cuja produção e publicação tenha sido feita de forma independente por uma pessoa)
- Publicação independente de grupo (livros, revistas ou equivalentes, independente de gênero e formato, cuja produção e publicação tenha sido feita de forma independente por duas ou mais pessoas)
- Publicação infantil (livros, revistas ou equivalentes destinados ao público infantil)
- Publicação juvenil (livros, revistas ou equivalentes destinados ao público adolescente)
- Publicação mix (livros, revistas ou equivalentes cuja proposta original é a publicação de duas ou mais HQs diferentes, feitas por diferentes autores)

2 - OBRAS “B” (tiras e internet)

PS: O “B” não significa obras menores. A letra é apenas para dividir os dois tipos de obras porque eu não consegui pensar num bom adjetivo.

Como essas obras não são compostas de livros, revistas ou equivalentes, seria inviável “enviá-las” para a comissão julgadora. Nesse caso, ainda poderia haver inscrições, mas demandariam estudar como fazer (uma possibilidade é enviar uma quantidade “x” de material - no caso de tiras impressas, para dar um exemplo, poderiam ser enviadas cópias de “x” tiras por carta ou internet, com indicação de onde são publicadas)

- Tira nacional (HQs em forma de tira, publicadas de forma regular em jornais, revistas ou pela internet)
- Web quadrinhos (HQs em qualquer formato ou gênero originalmente criadas para a distribuição online e atualizadas de forma regular)

3 - AUTORES DE OBRAS “A” OU “B”

Aqui entram as categorias que premiam indivíduos. Todos que participassem das obras enviadas para avaliação (fossem “A” ou “B”) seriam considerados pelos jurados para análise de pré-indicados.

- Artefinalista (apenas brasileiros)
- Colorista (apenas brasileiros)
- Desenhista (dividido em Desenhista nacional e estrangeiro)
- Desenhista/Roteirista (nova categoria para envolver quem é desenhista E roteirista de alguma obra - quem estiver aqui não participa das categorias “individuais”)
- Editor (apenas brasileiros)
- Novo talento - desenhista (aberto apenas para quem nunca foi avaliado, indicado ou premiado anteriormente)
- Novo talento - roteirista (aberto apenas para quem nunca foi avaliado, indicado ou premiado anteriormente)
- Roteirista (dividido em roteirista nacional e estrangeiro)

4 - OUTROS

Aqui entram as categorias que não demandam uma inscrição prévia. Portanto, deveria ser estudada uma forma de tornar essas pré-indicações transparentes.

- Articulista ou jornalista especializado (pessoa que escreve regularmente sobre quadrinhos em mídia impressa ou online)
- Caricaturista
- Cartunista
- Chargista
- Destaque internacional (brasileiros que se destacaram no mercado internacional de quadrinhos)
- Editora do ano
- Evento
- Exposição
- Mídia sobre quadrinhos (mídia impressa, online, televisiva, radiofônica, etc..., que aborde exclusivamente ou de forma destacada matérias, reportagens e/ou artigos sobre quadrinhos)
- Salão e festival

5 - PRÊMIOS ESPECIAIS

Esses seriam os únicos prêmio cujos vencedores são selecionados diretamente pela comissão organizadora, não indo para votação popular.

- Dissertação de Mestrado; Tese de Doutorado; Trabalho de Conclusão de Curso; Artigo Acadêmico (defendidos e/ou publicados no ano que estiver sendo avaliado pelo troféu)
- Grande contribuição
- Grande mestre
- Homenagem especial

Mauro Fromer disse...

"Acho que cada um fazer uma lista de pessoas que gostaria de ter visto indicadas não é muito produtivo"

Como não é produtivo, André Valente? Se a comissão organizadora submete uma lista de nomes à consulta pública (o que, aliás, é muito louvável) o que se espera é exatamente que se discuta... NOMES! Pelo que entendi a ideia é justamente que se questione as indicações e que as pessoas tragam sugestões (de preferência com argumentos que justifiquem a sugestão). Acho, inclusive, que essa é um a maneira muito saudável de se discutir critérios, formato da premiação, enfim, uma forma de aprimorar.

Antoni Cedraz disse...

No ano passado publiquei dois novos livros da Turma do Xaxado

- Xaxado Ano 4 - 365 Tiras em quadrinhos

- Lendas e Mistérios vol. 2

Gostaira de vêlos indicados.

Grato

Antonio Cedraz
www.xaxado.com.br

Sergio Barretto disse...

Parabéns a todos os indicados, com certeza mereceram fazer parte desta lista. Porém parece que as indicações deste ano para o mais importante prêmio do Brasil careceu de representatividade territorial.

A impressão que ficou foi que os olhos da comissão se voltaram quase que exclusivamente para o sudeste, com algumas olhadelas para o sul.

Por exemplo: na Bahia foi lançado no ano passado o belíssimo álbum SÃO JORGE DA MATA ESCURA, com roteiro de Marcello Fontana e com uma primorosa arte de André Leal, com as participações do já consagrado e premiado Antônio Cedraz, da Turma do Xaxado (em seu primeiro e até agora único trabalho voltado para o público adulto) e da artista plástica Naara Nascimento.

Foi realmente um obra de peso, mas não recebeu nenhuma indicação. Na minha opinião uma obra indicável nas categorias publicação, desenho e roteiros.

Confiram o site da HQ e algumas matérias/resenhas feitas sobre ela, que encontrei numa pesquisa no google:
http://hqsaojorgedamataescura.wordpress.com/

http://quadro-a-quadro.blog.br/?p=7293
http://asleiturasdopedro.blogspot.com.br/2012/02/sao-jorge-da-mata-escura.html
http://blogdosquadrinhos.blog.uol.com.br/arch2012-01-01_2012-01-31.html

http://oglobo.globo.com/blogs/Gibizada/posts/2011/07/22/salve-jorge-393810.asp
http://miguelrude.wordpress.com/2011/12/01/so-jorge-da-mata-escurauma-resenha-crtica/

Sidney Gusman disse...

Pessoal, primeiro, a lista está bem ampla e representativa.

Mas tem equívocos, na minha opinião.

Daytripper, por exemplo, não pode ser indicado como Edição Especial Nacional, mas sim estrangeira, pois foi PRODUZIDA para o mercado exterior. Portanto, deve estar em Edição Especial Estrangeira.

O ótimo Achados e perdidos não pode concorrer como publicação independente de autor e de grupo. Ou um ou outro.

IG Jovem não pode estar em webcomics. O site foi a plataforma. Quem deve concorrer são as séries que lá eram publicadas.

Tune 8 não pode estar em edição independente one-shot, pois, como o próprio Rafael Albuquerque me escreveu no Twitter, na capa a revista traz a informação VOLUME 1.

A ótima Pateta faz História não é adaptação de nada. A categoria sugere que a HQ seja uma adaptação de outra OBRA, não de fatos históricos. Acho que está deslocada.

Por falar nessa categoria, sugiro à comissão que comece a acompanhar a revista Clássicos do Cinema - Turma da Mônica, que tem apresentado HQs divertidíssimas a cada bimestre.

12 de Setembro – A América depois do 11 de setembro tem apenas parte do livro em quadrinhos. E, pra mim, nem assim merece estar nesse time.

Estranhei a ausência da excelente Castelo de Areia em Edição Especial Estrangeira.

Por fim, não consigo entender a ausência de Turma da Mônica Jovem na lista de infanto-juvenis. Ainda mais depois da repercussão, internacional, inclusive, de que a edição batia - e muito - na revista mais vendida dos Estados Unidos.

Acho a série mais indicada, até, do que Mônica 500, por tudo que ela representa hoje no mercado de quadrinhos.

Assim que eu me lembrar de outras coisas, volto a comentar por aqui.

Abraço e bom trabalho a todos.

Sidney Gusman

Márcio Jr. disse...

Amigos!

Meu nome é Márcio Jr. e ao lado de Márcia Deretti sou produtor e diretor do curta metragem em animação O OGRO, baseado na HQ homônima de Toni Rodrigues e do lendário mestre dos quadrinhos brasileiros Julio Shimamoto. O filme teve uma bela jornada entre festivais ano passado, recebendo vários prêmios, conforme pode ser conferido em www.oogro.com.br
Para nós seria uma grande honra participar desta edição do HQMIX na categoria Produção para Outras Linguagens, onde engrossaríamos o caldo dos brasileiros representados apenas pelo documentário Angeli 24h. O grande Shima merece essa homenagem!

Abração a todos,

Márcio Jr.

Maurício Muniz disse...

Bem, acho meio estranho advogar em causa própria, mas como tem um monte de gente (autores e editores) fazendo isso aqui e pediram que eu também fizesse, vou tecer um comentário:

Em maio de 2011 a Gal Editora lançou MUNDO FANTASMA, de Daniel Clowes, que sempre foi um título aguardadíssimo e solicitado no Brasil.

MUNDO FANTASMA, pra quem não sabe...

- Recebeu inúmeros prêmios lá fora

- É considerado muito influente no mercado americano, fez escola

- É 6º lugar na lista dos 20 melhores quadrinhos da década pela revista PASTE

- É 8º lugar na lista da revista TIME dos melhores álbuns em quadrinhos de todos os tempos.

Já a edição nacional...

- Foi capa do suplemento de livros da FOLHA DE SÃO PAULO

- Rendeu matéria paralela no caderno para adolescentes da FOLHA

- Rendeu matéria em vários jornais, revistas, sites e até na TV

- Foi escolhido como o 3º Melhor Lançamento de Quadrinhos de 2011 pelo site PAPO DE QUADRINHO

- Foi escolhido como o 4º Melhor Lançamento de Quadrinhos de 2011 pela revista O GRITO

- Foi escolhido como 8º Melhor Lançamento de Quadrinhos de 2011 pelo site GIBIZADA, do jornal O GLOBO

- E, mais importante pra uma editora pequena, esgotou a tiragem em 6 meses, o que vai levar a Gal Editora a lançar uma nova versão especial do álbum em alguns meses

MESMO ASSIM... Nem o álbum e nem o Daniel Clowes foram indicados a ABSOLUTAMENTE NADA no HQ Mix.

Foi porque o Juri não conhecia o álbum ou por que não viram mérito mesmo?

E olha que nem vou falar de COMBATE INGLÓRIO, a famosa história de guerra antibelicista que a Gal também trouxe em 2011 e, pelo visto, passou despercebida em qualquer categoria ligada lançamento de clássicos ou de aventura. Bem, ao menos lembraram de SUPERMAN VS MUHAMMAD ALI, que merece ganhar todos os prêmios do ano porque é mesmo DUCA!

De vez em quando acho que essas "ignoradas" com as editoras pequenas ocorrem porque elas não têm tanta verba quanto as grandes pra divulgação e pra fazer auê em cima dos títulos, daí saem mais facilmente da lembrança.

Abraços a todos.

Maurício Muniz
Editor da Gal

Octavio Aragão disse...

Oi, Mauríco!

“De vez em quando acho que essas "ignoradas" com as editoras pequenas ocorrem porque elas não têm tanta verba quanto as grandes pra divulgação e pra fazer auê em cima dos títulos, daí saem mais facilmente da lembrança”

Será que é isso mesmo? Será esse o motivo por trás da ausência de editoras como Balão e Draco?

Em tempo: também acho estranho advogar em causa própria – apesar de eu também, de certa forma, ter feito isso ao indicar o Manoel Ricardo como desenhista estreante – mas vc está coberto de razão no que diz respeito a Mundo Fantasma e Daniel Clowes.

Marcelo K. disse...

Faltou Orixás do Alex Mir e Caio Majado. A obra é muito boa e não recebeu nenhuma indicação. Uma pena. Daytripper não é edição nacional, tem que ser internacional. Achados e Perdidos está em duas categorias.

Marcelo K. disse...

Faltou Orixás do Alex Mir e Caio Majado. A obra é muito boa e não recebeu nenhuma indicação. Uma pena. Daytripper não é edição nacional, tem que ser internacional. Achados e Perdidos está em duas categorias.

bruno di chico disse...

NHÉM, NHÉM, NHÉM... não fui indicado...

Alexandre Manoel disse...

Mais uma vez, sinto falta das categorias:

Melhor roteirista/desenhista (que, como o Daniel Esteves lembrou, é uma categoria já tradicional em premios de quadrinhos ao redor do muno)

Melhor Capa (desnecessário dizer a importância que uma capa tem, certo?)

RUBENS JUNIOR disse...

Também estranhei TMJ não estar entre os indicados. Há várias categorias que poderiam estar, já que é um fenômeno de várias formas.

Boa, Alexandre: PRÊMIO PARA MELHOR CAPA é essencial.

Embora seja fato que os "gringos" não ligam muito para o Troféu HQMIX, acho importante manter os prêmios internacionais. É uma forma de pensar a longo prazo, indica a intenção do prêmio se tornar cada vez maior, até que seja valorizado no mundo inteiro. Já que os quadrinhos brasileiros já estão neste patamar (e crescendo cada vez mais), nosso principal prêmio também deve estar.

Porém, principalmente na categoria PRODUÇÃO PARA OUTRAS LINGUAGENS, poderia separar em duas, NACIONAL e INTERNACIONAL. Pois no quesito "filmes", fica difícil competir com as produções Hollywoodianas, hein... E, embora não tenhamos tanto material nacional, o fato de ter um prêmio de renome só para isso, incentiva a galera a produzir.

- Angeli 24h
- Malditos Cartunistas
- Uma Professora Muito Maluquinha
- A Turma da Mônica também deve ter animações lançadas em 2011.

Se pesquisar, deve achar mais.

O Ogro disse...

Prezados amigos,

Segue para apreciação o link do desenho animado O Ogro, Curta baseado na obra do quadrinista brasileiro Julio Shimamoto:
https://vimeo.com/27511624

Nos sentiríamos honrados em participar do prêmio HQMIX na categoria PRODUÇÃO PARA OUTRAS LINGUAGENS.


Abraços,
Márcia Deretti.
www.oogro.com.br

Marcelo K. disse...

Falta ainda a categoria arte final. com a quantidade de obras que temos hoje, torna-se totalmente viável essa categoria.

Mayra Alarcón disse...

Olá,

Meu nome é Mayra Alarcón, e venho aqui para pedir que olhem ou lembrem, de trabalhos muito especiais que estão rolando. Eu trabalho numa produtora independente de filmes de terror, e isto me deu a oportunidade de conhecer muita gente de áreas diversas.

Os Diretores Márcio Jr. e Márcia Deretti de Goiânia, têm um curta belo "O Ogro", que podería ser considerado para "Produção para Outras Linguagens"...

Já o Carioca Carlos Ruas, com seu "Sábado Qualquer"... é uma das melhores Web Tiras que há, e têm um publico muito fiel, e uma legião de fãs que crece dia dia...

Acho que estes trabalhos deveriam sim, ser levados em consideração pelo festival

Obrigada pela atenção

Att.

Mayra Alarcón

Tiago Cabeleira disse...

Boa iniciativa galera!!!!

...mais gostaria de fazer uma pequena critica.

Acho que uma turma muito boa ficou de fora na categoria webcomic(quadrinho digital). O pessoal da Kaplan Project Comics(http://kaplanprojectcomics.com/),eles ja estao lançando a um bom tempo sua hq Mercenary Crusede no formato digital.
E lembrando q eles foram os primeiros a lançar uma hq no formato digital para celulares no Brasil.
Entao mais do q justo inclui-los na categoria webcomic.

akira sanoki disse...

Concordo com muitas coisas que o Zé Oliboni e o Mario Cau disseram. É necessário, realmente, ver melhor a parte de web quadrinhos.

Gostaria de saber quando sai a lista de Midia para Quadrinhos. Espero que o programa Banca de Quadrinhos esteja entre os indicados e é importante colocar algum podcast também, pois é inegável a força que ele têm hoje com a internet e aparelhos móveis.

Indico o podcast Matando Robôs Gigantes ( MRG ). Eles possuem um programa sobre quadrinhos, onde analisam uma revista e falam sobre os lançamentos.

http://matandorobosgigantes.com/

abraços

Marcos Ramos disse...

É uma pena não existir mais a categoria "Mídias para Quadrinhos".

Se ela se mantivesse um justo concorrente seria o Pipoca e Nanquim.

O pessoal produz videocast, podcast e um conteúdo incrível sobre quadrinhos e possuem uma ampla legião de espectadores.

Fora isso, lançaram o excelente livro "Quadrinhos no Cinema" e cobriram a Fest Comix e o FIQ.

Antigamente só existia o programa Banca de Quadrinhos, agora existem muitos videocasts e podcasts sobre quadrinhos, seria justo voltar essa categoria.

É isso!

akira sanoki disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
akira sanoki disse...

Marcos Ramos, a categoria Mídia sobre Quadrinhos ainda existe, tanto que estava conversando com o Gual e o Jal sobre a indicação de podcasts ao prêmio. Precisamos ver se será divulgado depois ou se vai ser escolhido por uma comissão fechada.

Programas como o Banca de Quadrinhos precisam ser lembrados, e podcasts sobre HQs estão crescendo, assim como Matando Robôs Gigantes que possue tantos fãs e está incentivando muita gente a ler quadrinhos.

Gostaria de saber da comissão sobre a situação da categoria.

abraços

Bruno disse...

Indico o podcast Matando Robôs Gigantes pra categoria Mídia sobre Quadinhos.

Wolfgang disse...

Como assim o Matando Robôs Gigantes não esta indicado na Categoria Mídia sobre Quadrinhos ????
Que gafe é essa ??

The guy Obvious disse...

Cade o MRG nesse negocio aqui?
Ta me cheirando a panelinha essa lista!

Gabriel Almeida disse...

Olha, na parte de web tá faltando uma publicação super foda: O Mercenary Crusade.
http://www.kaplanprojectcomics.com/
Os caras publicam toda semana e é muito bom!

Maurício Muniz disse...

Pessoal,

Também não sei se vai mesmo ter o prêmio "Mídia sobre Quadrinhos", mas acho que vale uma indicação ao podcast MATANDO ROBÔS GIGANTES.

Não apenas fazer programas regulares sobre quadrinhos, como ajudaram muito na divulgação de diversos títulos das mais variadas editoras. O pessoal tem feio um bom trabalho e acho que vale uma indicação, no mínimo.

Abraços,

Maurício Muniz

Alex D'ates disse...

Gus Morais colocou alguns pontos muito interessantes aqui a cerca das webcomics, e que tambem estão reverberando na outra página de comentários na capa do site.

No caso, o fator mais importante numa webcomic é o fato dela ser uma webcomic ou não. Explico: Como o Gus disse, há uma enorme diferença entre "postar" uma hq para web (porque não teve recursos/opção para imprimi-la etc...) e PENSAR, conceber e criar toda uma interface, design, soluções e afins para que o sujeito abra seu desktop e tenha uma leitura fluída.

Além: como solucionar todas as opções de navegação digital existentes? Tablets, Ipads, Macs, Smartphones...?

Quantas webcomics (sinto muito, mas web quadrinhos?? Deveriam trocar esse nome tambem) permitem ao leitor começar sua leitura num desktop, ir ao banheiro, se conectar com seu aparelho móvel e terminar de ler a hq EXATAMENTE do ponto onde estava?

E o conceito de página, então? Como se pode criar uma webcomic em formato americano para leitura em desktops? Isso é estar adaptado ao meio em que se encontra?

Clamo demais da conta, RESPONSABILIDADE à banca, pra analisar, pensar e ponderar. As indicações e o julgamento DEVEM ser norteadas PELA LINGUAGEM WEBCOMIC, ou seja, quais artistas e profissionais (independentes ou não) pensam esse formato, que vem da junção Quadrinho + Web. Sem firulas ou pirotecnia. Simples assim.

E outra, sem preconceitos: se uma webcomic é excelente em sua história, deveria concorrer como melhor história. Se o desenhista é bom, deveria estar nessa categoria.

Não façam de "web quadrinhos" um prêmio de consolação para uma bons artistas dos meios digitais.

P.s.: Caí aqui de para-quedas, mas como um dos autores do Kaplan Project Comics, agradeço DEMAIS a todos os amigos, fãs e entusiastas que estão solicitando aqui (e no outro comentários) pela inclusão de nossa webcomic Mercenary Crusade, cujo primeiro Episódio foi lançado durante 19 semanas consecutivas desde o FIQ-BH em Novembro do ano passado, entre os indicados.

Isto só nos demonstra que, desde 2009, ao lançarmos a 1a hq para Iphone em Português, já estávamos no rumo certo.

Qualquer esclarecimento:

http://kaplanprojectcomics.com

Abraços a todos;

Alex D'ates.

Alex D'ates disse...

E outra:

Como assim, Os Passarinhos não está incluída? Não como WEBCOMIC, mas como hq do ano, melhor história... enfim?

Existiu algo mais cativante que a produção do Estevão?

Tiburcio Illustrator disse...

Bom dia. Meu nome é Tiburcio, escrevo e desenho a webcomic Meu Monarca Favorito http://meumonarcafavorito.blogspot.com.br/ com a ajuda ocasional de André Lasak (revisa e roteiriza textos maiores) e Nelson Moura (divide comigo pesquisa e textos maiores também).
O Monarca, creio eu, não é uma obra de arte sequencial nos moldes normais do quadrinho, ele mescla texto corrido com as tiras e inclusive por isso, tenho minhas dúvidas de como poderia ser classificado já que formulado para internet não leva em conta dimensões físicas de página por exemplo. Tal qual o Magias e Barbaridades de Fabio Ciccone, ele não pode ser lido "do meio" pois o leitor se perde, e por isso mesmo é uma obra em andamento.
Por conta do comentário de Octávio Aragão no entanto, o índice da fanpage do Monarca https://www.facebook.com/MeuMonarcaFavorito cresceu muito nesses dias.
Agradeço a divulgação, sei que o Monarca é praticamente desconhecido pelo público, basta ver os números e convido a todos para conhece-lo de ponta a ponta e curti-lo no Facebook.

E quero também reiterar que a webcomic é o futuro dos quadrinhos.
Deve ser olhada com mais carinho pelos jurados.

Quero recomendar para Webcomics ou webtiras estes queridos colegas:

http://www.oslevadosdabreca.com/
http://www.cartunista.com.br/
http://www.giekim.com/
http://profeticos.net/
http://mentirinhas.com.br/

Muito obrigado.

Wesley Samp disse...

Fico muito contente com a lembrança do caríssimo Tiburcio! Valeu!

Vi que houve menção à inclusão da categoria "mídia sobre quadrinhos". Sendo o caso, gostaria de citar o podcasto do qual participo, o Café com HQ, que é feito por autores de webcomics e discute a produção de quadrinhos para internet.

Abraço,

Wesley Samp
oslevadosdabreca.com
cafecomhq.com

Alex D'ates disse...

E mais um pitaco:

Num mercado tão ausente de divulgação como o nosso, em termos de grandes mídias, é irresponsabilidade não fomentar todos que trabalham na divulgação deste gênero literário.

Não vou citar ninguém, mas todo blog, podcast, vídeocast, portal e site que fala a respeito de quadrinhos são TÃO guerreiros quanto quem os produz aqui no Brasil.

Maurício Muniz (como sempre) tem razão.

E claro, reforço: pensem BEM a respeito das webcomics.

Atenciosamente;

Alex D'ates
Kaplan Project Comics.

Lou disse...

Ei Júri, façam o favor de lerem Garoto Mickey antes de fecharem as indicações.

Ricardo Manhães disse...

Quero agradecer a minha rpé-indicação ao HQMix ( Destaque internacional) Fico feliz que finalmente, depois de 11 anos sendo o único Brsileiro a publicar Humor, na França, Bélgica, Suiça e Canadá, no estilo de desenho Franco-belga,e depois de 11 ´labuns lançados por lá, eu seja reconhecido por aqui. MUITO OBRIGADO a todos.

Ricardo Manhaes disse...

Desculpem os erros de digitação no meu comentário acima. Meu teclado é todo trocado. Hehe.

Matias Maxx disse...

Com todo respeito ao meu amigo Rafael Coutinho, mas a 1001, aparece indicada como publicação independente, no entanto na mesma lista, um pouco depois ela aparece indicada como Publicaçã Mix e entre parenteses está o nome da editora, (Barba Negra). Diferente da Golden Shower que aparece identificada como (Independente). Como todos sabem a Barba Negra é um selo da Leya, que é uma empresa portuguesa.

Mais uma vez, nada contra o trabalho do Rafael Coutinho ou da Barba Negra. Mas acho uma injustiça a publicação estar indicad aa melhor independente, enquanto a Tarja Preta #7 não foi indicada, sendo que esta é editada desde 2005 de forma independente, e após ser indicada muitas vezes ao HQ Mix, não foi indicada justo em sua sétima edição que é a que tem mais qualidade gráfica e melhor distribuição do que as anteriores. Imprimimos 3mil revistas e estivemos presentes nos principais eventos de quadrinhos do ano passado, não entendo como não podemos ter sido pré-indicados!

Rafael Silva disse...

podcast Matando Robôs Gigantes ( MRG ). Reviews muito bons sobre cinema, games, quadrinhos, a vida, o universo e tudo mais.

http://matandorobosgigantes.com/

Edmilson JrK disse...

Esta lista realmente está limitada a uma panelinha né? cadê o Um Sábado Qualquer e o MRG?

regulated forex brokers disse...

Thanks for posting this informative post. I like the content because its very easy to understand. And the topic captures my attention.you may visit this site also regulated forex brokers

paypal brokers disse...

Visit paypal brokers to know more on how to make money from paypal.

Pedro Netto disse...

Quero Feira de Fruta!